segunda-feira, 9 de março de 2015

O acorde perfeito



Depois de um mês remoendo a ideia por dentro. Sim, por que aquele assunto me deixara perplexo. Um acorde perfeito, feito por um guitarrista perfeito, um som hipnótico. Eu descobrira em uma capa de revista. Era quase impossível, muitos tentaram, mas não era um assunto muito divulgado. Poucos sabiam realmente que o acorde existia. Inúmeros pesquisadores da época estudaram a sonoridade das músicas e relacionaram com as fotos que eles tinham. Mas aquela foto era diferente. era uma mulher sentada em uma cadeira. Um espelho refletia um braço de guitarra sendo tocado. Ninguém sabia que ele havia participado daquele disco. 

Ele aumentara a visão com uma lupa e anotou as notas musicais feitas por aquele dedo. Foi simples, um amigo seu gostava muito daquela banda, Conhecia tudo sobre ela, inclusive do solo de guitarra feito no disco sem autoria relacionada na capa. Era fácil notar a particularidade, o som era diferente de todo o disco. E ele gostava desse guitarrista. Sacou na hora que era ele quem estava tocando. Pegaria o solo quando chegasse em casa, no violão ou na guitarra. Era tarde, mas precisava ouvir o som que sairia do instrumento.

Entrei no meu quarto, peguei o violão, liguei o som. O acorde estava ali, escondido na música, baixinho, em uma seção de cordas. Dava pra ouvir se prestasse muita atenção. Igual ao que estava tocando no violão. Era bonito mesmo, fácil de tocar, e eu não conseguia parar de fazer som, dedilhava, dava pancada, tocava lento, rápido, e aquele acorde não enjoava, eu podia fazer um somo de quarenta minutos com ele que seria um show perfeito. Uma jam session com um acorde. Programei isso e escrevi na minha agenda. Precisaria rever algumas anotações no dia seguinte, e preparei uma música usando o acorde, mais um blues, e um pouco de regaee.

A música durava seis minutos. Eu fiz uma letra, cantei, gravei com um violão e uma guitarra, um pandeiro e uma flauta. Um acorde. O solo parecia uma viagem espacial até a lua. A flauta casou perfeitamente com o acorde, sendo facílimo de se tocar. o pandeiro só acompanhava o ritmo.

Publiquei um vídeo de fotos que baixei, de domínio público. Um clip de música, bem humorado, acompanhando a música e seus devaneios. O acorde em forma de vídeo. Fiz o mais simples que podia. uma bola andando pelo quarto, de meia. A solidadão daquela bola e sua felicidade quando encontra com a outra bola até que os ldois juntos ficam felizes para sempre, sem perder tempo nem hora.

O vídeo foi acessado por muita gente que ficava hipnotizado pelo som e pelas imagens e passava para outras pessoas, em um bagte boca até o fim do mundo, viralizando a internet em poucos dias. At[e que todo mundo ouve aquele acorde pefeito que revoluciona a música, todo mundo começa a colocar o acorde perfeito em suas composições, revolucionando uma geração de músicos. Aquele acorde era ouvido em todos os lançamentos, mascarados, na cara, dedilhados, com distorção de guitarra, naquela música de elevador, no som do videogame, nas rádios.

Passam dois anos e o acorde perfeito está nos top cem das revistas especializadas.era o topo que o acorde perfeito chegava. 

Até que um dia, um homem apareceu com o acorde imperfeito...


Nenhum comentário: