terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Tem um emprego aí



Aos 36 anos me vejo em uma situação constrangedora. Este que vos fala, o eterno adolescente, envelheceu. Acontece que no chão de lama em que me encontro, fica difícil arrumar um emprego (a garantia da responsabilidade).

As saídas em busca de sexo fácil no meio da noite não são mais as mesmas. No dia seguinte tem que acordar cedo.

É, a vida passa a ser diurna, sair ao centro da cidade levando um currículo debaixo dos braços e mendigando por um emprego, ficando queimadinho pelos raios solares que insistem em suar a sua camisa de linho.

Envelhecer te mostra coisas importantes como ajudar a si mesmo primeiramente, e depois, os outros. Nesse coração enorme de bondade em que me encontro muitas vezes me auto saboto para mostrar meu sorriso para desconhecidos.

Eu canto, danço e o emprego não vem.

Vejo espíritos responsáveis, senhores do dinheiro com suas vidas confortáveis, mas sem aquela bondade espiritual.

Nesse sentido, as energias cósmicas poderiam me ajudar.

Topo tudo, por qualquer dinheiro.

Só não rodo a bolsinha na Afonso Pena.

Nenhum comentário: