sábado, 7 de fevereiro de 2015

Saudade das boas


Quem poderia dizer que um dia chegaria ao ponto de ver que nada na vida importa tanto quanto um amor verdadeiro.

E o mais importante, é que depende muito da gente para conseguir tal raridade.

Quantas vezes escrevi aqui cartas de amor depressivas, estranhas, sem nexo e pedante.

Elas todas mexeram com esse órgão vermelho, grande que fica no meio do peito (é, mexia com outro órgão também).

Amizades, dinheiro, poder, profissão, divertimento, nada disso vale de verdade se você estiver solitário.

Tudo com amor melhora, a vida fica bela, como ela.

Que saudade gostosa dos momentos bons, e foda-se pros momentos maus.

O toque, a mão no corpo, o olho no olho, o sorriso.

Mas, como dizia o pequeno príncipe,

Você é eternamente responsável por aquilo que cativa.



Nenhum comentário: