quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Kama Sutra do Diabo - parte III


João Luiz foi para casa, o diabo o avisou para tentar uma abordagem diferente, buscar alguém que se encaixasse perfeitamente no inferno, ele deveria tentar uma mulher roqueira, de preferência satânica e João decidiu ir à noite em uma casa de show.

A casa era toda vermelha, uma cor escura como se fosse sangue. João já tinha decorado a terceira posição do Kama Sutra do diabo. Ele entrou, a casa estava lotada, uma banda cover de Iron Maiden estava mandando um som, e ele adorava a banda inglesa, seria unir o útil ao agradável. Lindas mulheres com suas calças de couro valorizando aquelas bundas enormes e saudáveis. Por ele João faria um bacanal, o diabo até que iria gostar, mas nessa noite apenas uma seria sua presa.

Havia uma loira alta, um pouco gordinha, tomando whisky no balcão. Ela usava um pentagrama invertido, igual ao do livro que o diabo lhe emprestara. Ele nem precisou chegar nela, a mulher, chamada Kelly, deu uma piscadela para ele na mesma hora. A banda estava tocando Wasting Love, uma balada boa para dançar e os dois seguiram juntos até a frente do palco. Ela passava a mão em sua bunda enquanto dançavam.

Eles se beijaram e se esfregaram. João queria transar com ela ali mesmo, mas se controlou, os dois saíram da casa de show sem dizer uma palavra um para o outro e entraram no carro de João. Estava fácil demais conseguir esse diamante.

Como eles moravam longe do centro, a loira decidiu pagar um boquete para João enquanto ele dirigia, Ele quase bateu o carro, estava desistindo de matar aquela mulher, João ficara apaixonado.

Ao entrar na casa, João viu o diabo escondido do lado de fora, nos arbustos, ele lhe deu uma piscadela, neste dia ele estava diferente, igual ao diabo da capa do disco Sargent Peppers, que fica atrás da Marlyn Monroe, vermelho sangue.

Os dois subiram até o quarto principal, tiraram as roupas, João ficou em pé e se encaixou na loira assim mesmo, segurando suas pernas enquanto fazia um movimento de vai e vem. João não queria matar aquela garota, não pôs a mão em seu pescoço, a beijou docemente, até que ele sentiu uma mordida em seu pescoço, todo seu sangue fora sugado e ele caiu no chão, morrendo ali mesmo, indo direto para o inferno.

O diabo estava na porta do quarto, rindo e tirando a roupa, era a vez dele transar com a loira...


 Continua...

Nenhum comentário: