terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Kama Sutra do Diabo - parte II



João Luiz voltou para casa com um sorriso no rosto, ele tinha agora dois diamantes do demônio. Eram pedras enormes, em pouco tempo ficaria rico e poderia se mudar daquela cidade. O sonho dele era morar nos Estados Unidos lá ele poderia morar como um marajá.

Em casa, João sonhou que estava em Fortlander dale, onde encontrou com seu ídolo Jimmy Page. Ele curtiu a praia tomando cerveja no seu veleiro, tocava violão para lindas mulheres, em seu quarto, o lençol do colchão era feito de notas de cem dólares, nele ele transava com as garotas, no seu sonho, seus olhos eram cor de sangue como se tivesse fumado a mais forte das maconhas.

No outro dia, João acordo com uma tremenda dor de cabeça, parecia que tinha bebido muito na noite anterior, estava de ressaca, mas algo dizia que seu sonho era realidade, ele tinha bebido e tranzado com as garotas no Iate. Ele bebeu uma garrafa de refrigerante em um gole. Saciado, saiu de casa, já era de tarde, ele dormira muito. Foi na padaria comprar cigarro. Ele estava de olho em uma caixa, linda, branquinha com os cabelos negros, do jeito que ele gostava.

- Olá, me vê um Holywood?

- Sim, gostaria de mais alguma coisa?

- Sim, queria te convidar para sair hoje, vamos? Conheço um bar muito bom, com cervejas artezanais que tenho certeza que você vai gostar.

Seus olhos brilharam, a garota do caixa apaixonou na mesma hora, ele deu uma piscadela para ela que a deixou com muito tesão. Ela mecheu nos cabelos e se contorceu toda, os bicos de seus peitos estavam saliente.

- Meu nome é Cíntia, pode me buscar as dez horas, depois do serviço.

- Está bem,  eu passo aqui de carro.

João apareceu às dez em ponto. Cíntia tinha se arrumado ali mesmo na padaria, estava perfumada e de banho tomado. Ela usava um vestido curtíssimo que valorizava suas pernas, João ficou excitado. Ele saiu do carro e abriu a porta para ela. No entanto, antes de entrar, Cíntia deu um beijo nele. Ela era uma presa fácil.

Chegando no bar eles pediram uma cerveja alemã, conversaram sobre seus trabalhos e sobre a vida. João não via a hora de levá-la para o casarão. O bar era muit bonito, com quadros de imagens de cinema com atrizes como Marlyn Monroe e Maria Tomei.

- Vamos sair daqui? Tenho uma surpresa para você na minha casa.

- João, eu adoro surpresas.

- Então vamos, eu moro aqui perto.

Os dois chegaram atpe o cazarão, Cíntia estava encantada com João, ela faria o que ele quisesse. E fez mesmom, os dois foram direto para o quarto principal, ele sse despiram e começaram a fazer um meia nove, João apertava a barriga da garota equanto a xupava. Cíntia sentiu uma energia estranha vinda de seu estômago e subindo até seu coração. A energia era tão forte que explodiu seu coração na mesma hora em que ela teve um gozo. João saiu de baixo da garota e chutou seu corpo para fora da cama. Ele olhou para a porta, lá estava o demônio sorrindo, com mais uma pedra de diamante em suas mãos.

Continua...


Nenhum comentário: