terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Estrelas no céu


Ando pelas estradas de terra com meu pé descalço. Parece que foi ontem quando eu e meus primos brincávamos de castelo de Greyskull no meio da mata de Teixeiras.

Depois íamos na cachoeira dar um pulo na água. Tinha medo de me afogar, mas era muito bom, escorregávamos pelas pedras até cair num lago.

Aquele solzão brilhante no céu azul queimava nossas peles e trazia alegria para as nossas brincadeiras.

Éramos livres, como pássaros voando sem medo de cair, mas às vezes brigávamos.

Depois fomos crescendo, virando gente grande, as brincadeiras mudaram, cantávamos ao som do violão, e regrados a muita cerveja, namoradas e alguns baseados.

Éramos jovens iluminados, sem constrangimento de ser feliz, brincando de viver.

Até que vimos como a vida é frágil, somos seres cósmicos, prontos para liberar nossas energias no universo.

Perdemos várias pessoas que amamos.

Mas elas ainda estão por aí, nos observando.

Nenhum comentário: