quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Transformação



Eu tinha bebido muito na noite. Estava sentado em meu sofá vendo um filme na televisão após ter saído para um show da banda cover de Creedence mais chata que já ouvi. Estava sem ar ali naquele cubículo, me levantei peguei uma cerveja na geladeira e sai do apertamento.

Fui numa praça a uns três quarteirões de minha casa para fumar um baseado. Estava lá sentado num banco enrolando meu beque, quando um cachorro grande, preto com uma cara nada amistosa, chegou perto de mim. Ele começou a cheirar meu baseado e respirar mais forte, sinalizando que também queria a maconha. Eu ri e acendi o beque, a primeira tragada foi dele.

Só que o cachorro endoidou comigo, eu soprei a fumaça na sua cara e ele foi pra cima de mim, se não pusesse o braço na frente eu ia ficar sem rosto. Eu saí correndo daquele animal esquisito e cheguei são e salvo em casa, fui pra sala de televisão, ou melhor de jantar, ou melhor, a cozinha do apartamento. Sentei no sofá e comecei a ver um filme de terror. Era o filme do Drácula, de Bram Stoker, gosto daquele filme e acendi outro baseado ali mesmo.

Depois da terceira tragada, comecei a sentir um arrepio no braço, uma dor no estômago. Minha cabeça latejava, parecia que meu cérebro ia explodir, fui beber uma aguá, na geladeira só tinha cerveja, e foi o que eu bebi mesmo. De repente me imaginei sem estômago. Parecia que ele tinha sumido do meu corpo. Minhas pernas estavam mais grossas que antes. Fui abrir a latinha e esmaguei ela derramando cerveja no tapete. Meus pés doíam, aqueles sapatos estavam mais apertados que o normal, sentei de novo no sofá e os tirei. Fiquei horrorizado, a minha pele estava derretendo, com bolhas vivas se mexendo e prontas para explodir. Não era mais meu pé, de repente ele se encheu de cabelo começando dos dedos ate o calcanhar. As unhas caíram dando lugar a umas crostas esquisitas, meu pé estava como patas de cachorro. Eu estava experimentando o  impossível, meu ombro se alargou e meu peitoral se encheu de pelos, sentia minha cara esticando, os pelos me cobrindo inteiro, eu cresci um metro da minha estatura, meus braços estavam com uma força sobrenatural, podia esmagar o mundo.

Até que me olhei no espelho...

Nenhum comentário: