quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Mundo louco

Mundo estranho em que se elogia alguém e por intermédio de outras pessoas ela pensa que você a xingou. Que é inimigo mortal.

Mundo estranho.
Mundo louco...


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Sonhos

Eu sonho o sono dos justos.
Dos desajustados, incompreendidos.

Eu sonho o sono dos poetas.
Dos endividados, dos falidos.

Eu sonho o sono dos ricos.
Escondidos atrás do dinheiro.

Eu sonho o sono dos sonhos.
Onde Deus vê tudo e sorri.

Eu sonho o sono dos pobres.
Podres proféticos e esquecidos.

Eu sonho o sono dos que não tem paz.
Pois a guerra os trouxe pra casa.

Eu sonho a utopia de um mundo que nunca existiu.
À espera de um milagre...

terça-feira, 19 de novembro de 2013

sei não sei

A luz do sol cega meus dias envolto à mais profunda potencialidade de efêmeros desastres abdicados de qualquer lógica, sendo subversiva, ou não, ao modus operandi de espetáculos circenses, bestas medonhas, palhaços encapuzados de despeito, perante o status quo das palavras de outras línguas frente a um modelo de off off, liquidando de vez com a matemática das percentagens do fado.

Pois sois vós então, os filhos da língua em um país em off sale?

Guevons, endiabrados, encabulados, insubordinados, estratificados, paralisados; estátuas então; zumbis do espaço prontos para comer um cérebro.

A quer saber? Aperte de hardest button to button, put youre butt on me, pois laiká nóis laikemos, mas money que é good nóis num have. Ou have?

Cadê, onde que tá...

bye adios sayonara mercy óúauê




quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Vou escrever algo sobre o estilo de Bukóviski...

ô pernas, que pernas, meu deus mas que pernas são aquelas ali do meu lado na cama naquele maldito motel. Promoção, cartelinha com uma noite, uma trepada no frio desgraçado que não estava no flyer daquele maldito motel. E ela ali, aí me bem, são cem reais a noite viu?

Barato, muito barato, mas estava acostumado àquelas putas da Guaicurús...

Boas putas, baratas, de quinze minutos, dez minutos, não... mais, vai vai, vai...

Cinco minutos depois, se funcionar...

Hoje não, uma noite. A mais bela das prostitutas na minha cama por um preço promocional.

Ela faria tudo que eu quisesse.

Será mesmo?

bom, estava um frio de lascar, ou melhor nós dois.

Ou melhor, ela.

Frígida

Boa promoção...

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Talvez um dia quem sabe a gente se reencontra...

Existe um livro que conta a história de um cara que na cadeia foi acusado por um outro presidiário de saber a localização de uma dinamite na prisão que seria utilizada numa fuga.

Só que não existia a dinamite e todos acreditaram no presidiário fofoqueiro e o cara passou o resto da vida na solitária com guardas perguntando a ele onde estavam as bombas.

Que na verdade não existiam.

Cuidado ao julgar os outros...