terça-feira, 9 de julho de 2013

O nada não é nada, só é sem eu, sem você

Uma doce mulher com espinhos.
De onde vieram aqueles espinhos?
Muitos dias em um...

Atravesso a rua sorrindo.
Fingindo...











Qual vantagem na desgraça alheia?
O espelho da sua própria desgraça...

Você é linda, não precisa dessas coisas.
Pode conquistar tudo sozinha.

Vai lá.

Como é triste a destruição total de falsos dogmas.

Como é libertador,

o vazio. O nada.

Deus.

O verdadeiro Deus, não estes vendidos nas esquinas.

O Deus que sabe o verdadeiro significado da palavra amor.

Aquele que a gente nem sabe direito se existe...




Nenhum comentário: