quinta-feira, 5 de abril de 2012

Era uma vez um monge que na busca de uma resposta para sua caminhada, ele em vão desceu as montanhas do Tibet e por sete anos viveu como um cidadão comum, em uma vila do outro lado de seu país, na fronteira com a China.

Até que um dia ele pegou uma carona em uma comitiva de jornalistas brasileiros que o levaram ao hotel.

O monge entrou na festa e acordou dois dias depois no Rio de Janeiro.

Pensando que era seu Karma catequizar os cidadãos daquela cidade misericordiosa, o sábio de olhos puxados caminhou encontrou nosso herói chutando uma lata de lixo à meia noite em frete a Apoteose.

Sorte não ser carnaval, mas o estranho a frente do monge ofereceu um trago para o homem santo que fumou até acabar.

Sorrindo o monge viu o nirvana, mas não conseguiu chegar lá.

Nenhum comentário: