quinta-feira, 29 de março de 2012

18 anos de música


Eu posso não ter ganhado rios de dinheiro.
Não toquei em nenhum lugar muito famoso.
Não tive nenhum hit tocando nas rádios.
Não trepei com nenhuma coelhinha.
Não ganhei um carro.
Nem saí bem na foto.

Agradeço assim mesmo porque os momentos em que passei em cima do palco foram os melhores, o terceiro melhor pra falar a verdade.

Agradeço quando os mendigos dançaram em frente do palco na Serraria, o cara contando que ficou arrepiado ao ouvir o som e pagou uma breja pra galera, as aventuras em outras cidades, os amores de todos os sons e cores, sair correndo porque neguim deu o cano na conta, os elogios, as críticas, as sugestões, a falta de gasolina, o pneu furado, o show vazio, o show cheio, aos amigos de estrada, aos amigos que são poucos, a cerveja tomada, as festas mirabolantes, aos estúdios caseiros, aos estúdios profissionais, às grupies de um show, às motos Harley Davidson rodeando o público, as lágrimas durante uma música, os tropeços durante o som, ...

Mas principalmente à música, cada nota, cada acorde, cada som, cada show.

Memorável.

Que venham mais...

quarta-feira, 28 de março de 2012

Chuva



E o som que ia rolar hoje?
Já era!

Asas ou rodas, sem guarda-chuva.
Cadê a chuva?

E se estiver no olho do furacão?
O guarda-chuva?


Preciso de uma prancha de surf...

segunda-feira, 26 de março de 2012

Bar

Era o último gole e o último trago.
Chovia lá fora.
O dono do bar inquieto para ir embora.
E o bêbado dançado só, no meio do bar.

Falou que era marinheiro.
Que tinha vindo do mar.
Mas estava seco e bêbado.
Dizia que era cedo e que iria navegar.

Nas águas profundas do sul.
Pelo vento alado e sem pressa.
Surfaria nos mares de morros.
Veria tudo longe à beça.

Aqui não era sertão, podia ser talvez um rio.
Podia dançar sozinho, podia dançar no grito.
O silêncio de seus pequenos passos, se arrastando pelo chão.
Não eram suficientes para a sua compaixão.

Pois ele é o andarilho sem teto.
Atrapalhando o dono do bar.
Não era hora de fechar.

Eu também queria uma cerveja...

domingo, 25 de março de 2012

Sim salamin



Dentro de um jardim de trevas.
Fora de um compromisso.

Ao lado de uma dúvida dúbia e esquizofrênica.
Leia e entenderá.

Faça, monte o quebra cabeça.
A história está aqui.

Será?

sexta-feira, 23 de março de 2012

Brothers in arms

quinta-feira, 15 de março de 2012

Janela Azul


Eu passo em frente quase todo dia.
Vejo o brilho do sol batendo naquele azul, às vezes fechado, às vezes aberto.
Na chuva a janela brilha com a água.
Meus olhos brilham de saudade.

Isso é que importa, o amor.

Daquela janela azul...

Mas não leve muito a sério, estou só aqui, divagando...


sexta-feira, 2 de março de 2012

Humirdade


Cuspa, cuspa no prato que comeu.

Chupa, chupa seu drops de merda.

Finja que tudo que sabe já sabia antes.

E eu, mesmo tendo chamado pessoas sem experiência, quase virgens , punks de três acordes, camelôs e patrícinhas fúteis, a única coisa que cobrei foi a presença e a amizade.

No entanto, mesmo buscando a simplicidade e a harmonia, vc diz que falta humildade.

Você é a vítima e eu sou o algoz.

Tá certo então...

Mas da próxima vez que for trocar de silicone, não me peça para testá-lo ok?