quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Minorias

Durante o período de inscrições em uma faculdade de Tangamandápio, famosa por privilegiar as minorias, o responsável pelas inscrições atende uma fila enorme dos mais variados tipos. Já cansado, e estressado atende um jovem de vinte e poucos anos.

- Olá, boa tarde, vim me inscrever para o vestibular de medicina.
- Pois não, senhor, preencha o formulário e pague a inscrição.

O jovem pega a folha olha para a parte de cotas oferecidas pela faculdade e fala:

- Sou gay, quero fazer prova especial, entrar na cota de minorias.
- Gay? Você está louco, você não tem trejeitos femininos.
- Sou sim, olha minha mão. - diz desmunhecando.
- Não é não, você veio abraçado e aos beijos com aquela garota que está no banco te esperando.
- Hora, procure ver melhor, ela é um homem! Tem até gogó.

O moço nervoso e revoltado virou para o jovem e disse:

- Escuta aqui, aquela menina é mais feminina que minha mãe, não vem com essa, além do mais a cota é apenas para negros!
- Pois então, sou negro.

O trabalhador desorientado, pois ele sim era negro, levantou-se da cadeira e bufando gritou para o jovem:

- Negro? Você é mais branco que a parede, tem olhos azuis, você é branco!
- Não, sou negro, olha a cor do meu cabelo, é preto.

O moço segura o jovem pela camisa e fala:
- A cota é para pessoas de pele negra.

O jovem sorri, pede desculpas e diz:

- Tudo bem, sou pobre, não quero pagar a inscrição.
- Pobre? E esse Rolex aí, essa camisa da polo, esse tênis da Nike? Você é um playboy!
- Não meu senhor, é tudo falsificado, comprei o relógio, o tênis e a camisa no shopping popular.

Então chega a garota cansada de esperar, vira pro namorado e pede a chave do carro (uma mercedes).

O jovem ri de novo e fala para o moço chamar o gerente que quer falar com ele.

- Pra que quer falar com ele?

- Calma, quero só saber de assuntos do vestibular, tome o dinheiro, vou fazer a inscrição.

O gerente, já sabendo do ocorrido vira pro jovem e pergunta:

- Em que posso ajudar?

- Olá, gostaria de uma cópia da prova do vestibular.

O gerente nem respondeu, apenas olhou para o jovem de forma incrédula, que falou:

- É que meu pai é juiz...

Nenhum comentário: