quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Minorias

Durante o período de inscrições em uma faculdade de Tangamandápio, famosa por privilegiar as minorias, o responsável pelas inscrições atende uma fila enorme dos mais variados tipos. Já cansado, e estressado atende um jovem de vinte e poucos anos.

- Olá, boa tarde, vim me inscrever para o vestibular de medicina.
- Pois não, senhor, preencha o formulário e pague a inscrição.

O jovem pega a folha olha para a parte de cotas oferecidas pela faculdade e fala:

- Sou gay, quero fazer prova especial, entrar na cota de minorias.
- Gay? Você está louco, você não tem trejeitos femininos.
- Sou sim, olha minha mão. - diz desmunhecando.
- Não é não, você veio abraçado e aos beijos com aquela garota que está no banco te esperando.
- Hora, procure ver melhor, ela é um homem! Tem até gogó.

O moço nervoso e revoltado virou para o jovem e disse:

- Escuta aqui, aquela menina é mais feminina que minha mãe, não vem com essa, além do mais a cota é apenas para negros!
- Pois então, sou negro.

O trabalhador desorientado, pois ele sim era negro, levantou-se da cadeira e bufando gritou para o jovem:

- Negro? Você é mais branco que a parede, tem olhos azuis, você é branco!
- Não, sou negro, olha a cor do meu cabelo, é preto.

O moço segura o jovem pela camisa e fala:
- A cota é para pessoas de pele negra.

O jovem sorri, pede desculpas e diz:

- Tudo bem, sou pobre, não quero pagar a inscrição.
- Pobre? E esse Rolex aí, essa camisa da polo, esse tênis da Nike? Você é um playboy!
- Não meu senhor, é tudo falsificado, comprei o relógio, o tênis e a camisa no shopping popular.

Então chega a garota cansada de esperar, vira pro namorado e pede a chave do carro (uma mercedes).

O jovem ri de novo e fala para o moço chamar o gerente que quer falar com ele.

- Pra que quer falar com ele?

- Calma, quero só saber de assuntos do vestibular, tome o dinheiro, vou fazer a inscrição.

O gerente, já sabendo do ocorrido vira pro jovem e pergunta:

- Em que posso ajudar?

- Olá, gostaria de uma cópia da prova do vestibular.

O gerente nem respondeu, apenas olhou para o jovem de forma incrédula, que falou:

- É que meu pai é juiz...

durante o período de inscrições emuma faculdade de Mangadápio, famosa por privilegiar as minorias

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Hurt

Hurt
Composição: Trent Reznor

I hurt myself today
To see if I still feel
I focus on the pain
The only thing that's real

The needle tears a hole
The old familiar sting
Try to kill it all away
But I remember everything

(Chorus)
What have I become?
My sweetest friend
Everyone I know goes away
In the end

And you could have it all
My empire of dirt

I will let you down
I will make you hurt..

I wear this crown of thorns
Upon my liar's chair
Full of broken thoughts
I cannot repair

Beneath the stains of time
The feelings disappear
You are someone else
I am still right here

(Chorus)
What have I become?
My sweetest friend
Everyone I know goes away
In the end

And you could have it all
My empire of dirt

I will let you down
I will make you hurt

If I could start again
A million miles away
I would keep myself
I would find a way

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Ódio e escravidão


Ócio, ignorância e preconceito.

Medo, raiva, ignorância.

Preto, branco, amarelo.

Bicha, bicho, insípido.

Psicótico, esquizofrêncio, apaixonado.

Inércia, silêncio absoluto.

Pergunte pra mim.

Quem sabe te respondo...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Será?

Não sou eu, não sou quem eu sou.

Não devo nada a ninguém.

Não tenho que falar nada pra ninguém.


É você. É a inveja.

Sabe por que?


Porque você pode ter dinheiro.

Você pode ter poder.

Você pode conhecer as pessoas certas.

Você pode até fingir ter uma mente aberta.


O que pega mesmo é que apesar de você ter dinheiro,

apesar de você ter poder,

apesar de você até ter uma boa técnica.


Você nunca vai ter talento.


E é isso que te mata.

sábado, 27 de novembro de 2010

Adeus

Tenho escrito sobre o amor e a liberdade.
Mas eu não tenho sido justo com você.

Tenho escrito sobre dominar o medo.
Mas eu tenho tido medo.

Tenho escrito sobre não se submeter.
Mas eu tenho sido submisso.

Tenho falado sobre lutar por um mundo melhor.
Mas falar não é fazer.

Tenho dito que não tenho segredos.
Mas só você que os conhece de verdade.

Tenho sido cobrado e até manipulado.
Mas não por você.

Tenho visto que errei.
Mas eu não consertei.

Infâmias, injúrias, calúnias e difamações.
Só porque não falei a verdade.

Meus inimigos estão no poder.
Mas que culpa eu posso ter?

Eu só queria te amar.

Éssa é minha única verdade.

No entanto,

Adeus...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Amor e Liberdade

Amor e Liberdade
Por Paulo E. F. de Almeida

Sei que o mundo pode ser aterrador
Eu queria um pouco de tranquilidade
Não há nada que acalme a minha dor
Eu não sei viver em uma sociedade

Pode ser aquele monstro assustador
Que acaba com a minha sanidade
Também pode ser a falta de um amor
Por isso eu luto sempre pela liberdade

Me controlo para não enfurecer
Tento tudo não consigo te esquecer
Me avise se um dia eu me exceder
Eu sou livre não vou me submeter

Já tentei mudar para você
Só que eu não consegui
Ver o mundo como uma fantasia
Pensando apenas em curtir
Mas viver nessa ilusão
Sem nenhuma compaixão
Só fingindo ser feliz
Não consigo ser assim não

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Abismo



Oh medo!
Inimigo do desejo!
Agente da escravidão!
Criatura miserável, que nasce das entranhas da percepção!

Oh medo!
Falso profeta!
Inimigo da verdade!
Estranho sentimento, razão da mediocridade!

Oh medo!
Inimigo da cártase!
Aliado da mentira!
Orgulho dos covardes!

Oh medo!
Difícil vencê-lo, é preciso aceitá-lo!

Oh medo!
Instrumento de tortura!
Indutor de passividade!

Oh medo!
Verdade inconsequente!
Traidor da liberdade!

Eu olho no olho do medo e sorrio.

Eu rio da sua perversidade...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

LEMBRANÇAS



LEMBRANÇAS
Paulo Almeida

TODO DIA EU SINTO A SUA FALTA
SEMPRE PENSO EM VOCÊ
JÁ FAZ UM TEMPO QUE EU NÃO TE VEJO
EU QUERIA ERA SABER

SABER QUANDO VOCÊ VAI VOLTAR
TALVEZ POSSAMOS NOS ENTENDER
TENHO TANTO PARA TE MOSTRAR
VIVO SEMPRE A TE QUERER

REFRÃO:

EU NÃO SEI COMO PUDE SUPORTAR
NÃO CONSIGO TE ESQUECER
NÃO HÁ MAIS NINGUÉM QUE EU QUEIRA AMAR
EU PRECISO DE VOCÊ .... PRA MIM

FICO VENDO O AMOR NAS RUAS
LEMBRO SEMPRE DE NÓS DOIS
EU NÃO SEI SE É MINHA CULPA
DEIXO TUDO PRA DEPOIS

VIVO SEMPRE A TE PROCURAR
EU PROCURO UM VESTIGIO SEU
NÃO HÁ NADA QUE ACABE COM A DOR
DE PENSAR QUE PERDI O MEU AMOR

REFRÃO:

EU NÃO SEI COMO PUDE SUPORTAR
NÃO CONSIGO TE ESQUECER
NÃO HÁ MAIS NINGUÉM QUE EU QUEIRA AMAR
EU PRECISO DE VOCÊ .... PRA MIM

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Eu e você



Eu e você
Paulo Emílio Fialho de Almeida

Quando te vi pensei
Será que falo com ela
Talvez depois do show
Se ela ainda quiser

Fiquei admirado
Tentei conversar
Te achei tão linda
E meiga

Quem dera fosse outra hora
Talvez você não sofresse
Ao me ver partir
Teríamos o tempo do mundo
Dormiríamos os dias juntos
Te fazeria sorrir
Veríamos o sol nascer
Só eu e você

Cheguei perto dela
Seu corpo tremia
Não tive nem tempo
Já estávamos juntos
Queria você
Do meu lado

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Perdi a conta dos dias



Perdi a conta dos dias
Paulo Emílio Fialho de Almeida

Eu já perdi a conta dos dias que passei sozinho
Eu fico lembrando do dia que te vi sentada ali sorrindo
Vejo um filme em preto e branco no jardim florido
E a saudade que me dava no dia de domingo

Você pra mim
Você assim

Eu não quero mais lembrar
Que um dia acreditei
Que podia te amar
Mas agora já não sei

Você diz tudo para mim
Diz que sou amor
Desde o dia em que parti
Te causei imensa dor
Na verdade não é isso
Quero mesmo é liberdade
Não ligo pro teu feitiço
Não quero a tua amizade
Viajando pelo mundo
Procurando o meu caminho
Minha espada é minha guitarra
Garota eu não te devo nada

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Vivo como eu quero



Vivo como eu quero
Paulo Emílio Fialho de Almeida

Eu não tenho medo
Vivo como eu quero
Eu não preciso de você

Não suporto isso
Pra que desespero
Que me diga o que fazer

A vida é passageira
Liberdade é tudo
Mas você não quer entender

Você vê sempre o mal
O mundo desigual
Eu só quero te esquecer

Não te quero triste assim
Procurando se encontrar
Vivo sempre atormentado
Eu não quero mais te amar

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Adeus

Adeus
Paulo Emílio Fialho de Almeida

Eu não quero mais lembrar
Que você não vai voltar
O nosso tempo já passou
O nosso amor já se acabou

Eu vejo um novo mundo uma outra vida
Uma segunda chance de fazer o certo
E mesmo demorando para perceber
Que eu não quero mais você

Adeus...

domingo, 15 de agosto de 2010

Alegria


Alegria
Paulo Almeida

Eu aqui nesse bar
Lembrava de você
Uma dose pra relaxar
Mas outra pra esquecer
Que um dia foi sensacional
Alegria de viver
Mas agora tudo é tão sombrio
Não queria te perder

Mas a vida pode ser assim
Com você longe de mim

Sei que pode ser assustador
Por isso a força é importante
Que pode estar em outro lugar
E mesmo que eu a encontre
Agora sei que eu não vou achar
Que outro dia eu te veja
Vou de encontro ao luar
E talvez possamos nos falar

Que outro dia eu a veja

Pois você é a alegria
Minha razão meu sofrer
Eu sei que você é minha
E eu não pude compreender
Eu não pude te entender

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Mentira




Mentira
Manu Chao

Mentira lo que dice
Mentira lo que da
Mentira lo que hace
Mentira lo que va

La Mentira..

Mentira la mentira
Mentira la verdad
Mentira lo que cuece
Bajo la oscuridad

Mentira, Mentira, la Mentira

Mentira el amor
Mentira el sabor
Mentira la que manda
Mentira comanda

Mentira, Mentira, la Mentira

Mentira la tristeza
Cuando empieza
Mentira no se va
Mentira, Mentira

La Mentira...

Mentira no se borra
Mentira no se olvida
Mentira, la mentira

Mentira cuando llega
Mentira nunca se va

Mentira

Mentira la mentira
Mentira la verdad

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Mentira



Mentira
Manu Chao

Mentira lo que dice
Mentira lo que da
Mentira lo que hace
Mentira lo que va

La Mentira..

Mentira la mentira
Mentira la verdad
Mentira lo que cuece
Bajo la oscuridad

Mentira, Mentira, la Mentira

Mentira el amor
Mentira el sabor
Mentira la que manda
Mentira comanda

Mentira, Mentira, la Mentira

Mentira la tristeza
Cuando empieza
Mentira no se va
Mentira, Mentira

La Mentira...

Mentira no se borra
Mentira no se olvida
Mentira, la mentira

Mentira cuando llega
Mentira nunca se va

Mentira

Mentira la mentira
Mentira la verdad

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

Todo es mentira en este mundo
Todo es mentira la verdad
Todo es mentira yo me digo
Todo es mentira ¿Por qué será?

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Música

A música transforma.

Ela hipnotiza.

Você volta no tempo, aos antigos amores, à uma outra época.


Quem cria música explora o outro lado, é um catalizador da divindade.


Quantos amores foram

terça-feira, 27 de julho de 2010

Three Little Birds

Three Little Birds
Composição: Bob Marley

Don't worry about a thing,
'Cause every little thing
Gonna be all right

Saying , don't worry about a thing
'Cause every little thing
Gonna be all right

Rise up this morning
Smile with the rising sun
Three little birds
It's by my doorstep
Singing sweet songs
Of melodies pure and true
Sayin',"This is my message to you"

Saying don't worry about a thing
'Cause every little thing
Gonna be all right

Saying don't worry about a thing
'Cause every little thing
Gonna be all right

Rise up this morning
Smile with the rising sun
Three little birds
It's by my doorstep
Singing sweet songs
Of melodies pure and true
Sayin', "This is my message to you"

Singing don't worry about a thing,
Worry about a thing,
Every little thing gonna be all right
Don't worry!
Singing don't worry about a thing"
I won't worry!
'Cause every little thing
Gonna be all right

Singing don't worry about a thing,
'Cause every little thing
Gonna be all right
I won't worry!
Singing don't worry about a thing,
'Cause every little thing
Gonna be all right
Singing don't worry about a thing,
'Cause every little thing
Gonna be all right!

sábado, 17 de julho de 2010

Hoje olhei para as estrelas

Hoje olhei para as estrelas
Paulo Emílio Fialho de Almeida

Hoje olhei para as estrelas
E procurei por você
Tem muito tempo que eu não te vejo
Eu só queria saber

Onde você está
A minha saudade aperta
Me lembro o dia e do brilho dos teus olhos
Quando você partiu
Oh quando você partiu

Eu fiz um blues só pra você
É bem melhor que lágrimas
Talvez um dia a gente volte a se encontrar
Mas por enquanto eu sigo só
Por enquanto eu sigo só

segunda-feira, 12 de julho de 2010

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Até Quando?


Até Quando?
Gabriel Pensador

Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer
Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

(Repete refrão)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

(Refrão x2)

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

(Refrão x2)

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você

Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado que eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

(Refrão x2)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

(Refrão)

domingo, 4 de abril de 2010

Bjão

Ando pelas ruas molhadas pela chuva.
O cheiro do orvalho denuncia o amanhecer.
Passei a noite em claro pensando.
Acho que foi em você.

Eu sou o fraco que sucumbi em dúvidas.
Mas também sou o forte que sabe o que sente.
Como posso me atrever a questionar.
Não consigo nem lhe falar.

Seria fácil dizer me desculpe.
Se adiantasse alguma coisa o faria.
Que adianta viver rindo à toa.
Como se tudo fosse tão fútil.

Não quero fingir que é só maravilha.
A viagem não trouxe sossego.
Por isso encho meu pulmão de ar e suspiro.
No meio da madrugada ao relento.

Passeio pela noite anterior.
Te dou um tchau e um beijo.
Como pude ter dúvidas do carinho.
Um vício dormir em teu seio.

Depois de tudo um sorriso.
Ainda estou aqui.

Pensando em você...

terça-feira, 23 de março de 2010

Sorriso

Pressão, stress, correria, ambição, cobiça, mentira, inveja, ciúme, vício, violência, intolerância, preconceito.

Cansado, realmente cançado.

Pra que falar disso, pra que ver um corpo estendido no chão?

Pessoas dizendo o tempo todo como você deve ser, como deve falar, como se comportar, como viver.

Passamos o dia inteiro recebendo de tudo e de todos esse lixo goela abaixo.

E ainda assim queremos ser felizes.

Virar ermitão?

Talvez, mas você pode dizer que é só uma fuga, uma loucura.

Mas o que é essa tal de felicidade? Conforto?

Não quero o carro do ano, uma mansão, uma viagem pra Disney, uma guitarra de 10 mil, uma roupa de marca, um diamante.

Quero apenas seu sorriso...

domingo, 21 de março de 2010

Minas Gerais

Minas Gerais, terra do ouro, dos diamantes e do ferro. Terra do artesanato, da música, da literatura e das artes plásticas. Berço de Aleijadinho, de Carlos Drumonnd de Andrade, de Pelé. Minas Gerais de um povo hospitaleiro, alegre, culto, religioso e trabalhador. Somos como o minério de ferro, duros ou maleáveis, dependendo da situação. Minério poético, riqueza econômica e cultural de um estado que nasceu para brilhar.

Matéria prima para grandes construções e máquinas, o ferro encontra sua veia artística nas mãos de artesãos e de escultores que o transforma em variados monumentos culturais, com leveza ou peso, dependendo de quem os manuseia.
Ferro magnético assim como Minas Gerais, um lugar que transforma quem conhece; difícil vir aqui e não querer voltar. Como um imã de ferro, retornamos para cá e nos deslumbramos com um cenário bucólico, e com um povo merecedor de todas as riquezas que essa terra nos deu.

A infância na fazenda, subindo em pés de jabuticabas, escalando morros e encontrando uma pedra no caminho. A criança pergunta: O que é isso? Porque essa pedra brilha? È o minério que está nas montanhas e em nossos corações, na saudade de uma terra cheia de riquezas e histórias.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Ensaio de um conto

A chuva caia cada vez mais forte.
Ele esperava pelo outro.
Haviam combinado meia noite.
Estava atrasado.

Ele olhava para a lâmina que brilhava molhada à luz da lua.
Se preparara para aquele momento.
Sabia que teria sua vingança.

Impaciente ajoelhou na lama e fechou os olhos.
Via a imagem dela na sua cabeça.
Ela e ele.
Ela agora estava morta.

Ouviu passos e se levantou.
Os dois se olharam.
Primeiro para as lâminas, depois para os olhos.

Ele foi pra cima com uma fúria nunca vista.
Até pouco tempo era visto como um homem pacato.
Mas perdera tudo, por culpa deles.
.......................................................................................................
Fôra correndo quando soube da notícia.
Ela estava com ele.
O golpe dera certo mas ele descobrira.

A carta que chegara em suas mãos por intermédio de um amigo dizia onde estavam.
Chovia muito naquela noite e foi difícil chegar no meio da lama.
Ensopado, se arrastava até o mirante.

Ele estava à sua frente ajoelhado.
Ela, estava presa à uma árvore, sentada, cheia de sangue.
Olhou para a faca dele e puxou a sua.
Ficou surpreso com tamanha fúria.
......................................................................................................

Ela ainda respirava.
Amarrada na árvore via aquele homem ajoelhado.
Parecia meditar.
A chuva caia lentamente, lavando um pouco seu rosto vermelho.
O outro apareceu.
Viu ele se virando e chegando perto. Parecia um cachorro louco.
Os dois se encontraram.
As lâminas rasgaram simultaneamente.

Ela se assustou vendo os dois mortos no chão.
O sangue jorrou de sua garganta.
Era a vez dela.

Fechou os olhos e sorriu...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Loucura loucura loucura !!!

Não sei quem falou, mas acho importante.

"Se você sempre seguir os conselhos dados por pessoas mais velhas e ditas mais experientes, não reclame se no futuro você olhar para trás e ver que sua vida foi um tédio".

Claro que é sempre bom ouvir os conselhos de pessoas que já passaram por muita coisa na vida, mas isso não quer dizer que deva segui-los.

Na verdade aprendemos mesmo é com os nossos erros. É importante vivê-los, ter nossa própria experiência.

Acredito que é um caminho tortuoso ir em busca de nossos sonhos, muitos te dirão que é impossível e que talvez nunca chegue lá.

Outros dirão que é preciso se adaptar para agradar a platéia, "que tal por duas mulatas gostosas em sua banda de pagode"?

Ou então, "pinte quadros de cachorros, as crianças gostam".

"Escreva livros de auto ajuda, esses vendem de verdade".

Em nosso país tropical é difícil viver de arte, achamos que a solução é ir pra fora, pois lá temos mais chance.

Pode até ser, mas a verdade é que é dificil pra todo mundo, não me esqueço de quando recebi uma foto que um tio meu me enviou de um músico pedindo esmola na Austrália.

A verdade é que se você tentar se adequar ao que os outros acham que é vendável, você parecerá falso.

Pinte um quadro das entranhas de uma vaca, ou faça uma música com latas de lixo, pode não ser um sucesso, mas você não trairá a si mesmo.

A não ser é claro que você goste de Eguinha Pocotó, Paulo Coelho e Andy Warhol.

Aí meu caro, mergulhe fundo na lama...

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O que é o amor?


É uma saudade imensa quando está longe.

É uma impaciência tremenda quando se está perto.

É o suor a dois.

É algo que transcende todas as expectativas.

É a felicidade no tédio.

É a razão de viver.

É a alegria compartilhada.

É a tristeza sem remorso.

É o companherismo exacerbado.

É a união dos opostos ou dos iguais.

É o sorriso vindo do nada.

É o brilho nos olhos.

É a aceitação sem questionamentos.

É o compartilhamento das virtudes e das falhas.

É a amizade.

É a paixão.

É o fim da solidão.

É a morte sem medo.

É a vida.

É um poema fraco, mas forte ao mesmo tempo.

É um foda-se pra tudo.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Felicidade


Vejo nos seus olhos a loucura de uma vida.
A loucura de uma vida na busca pela felicidade.

Vejo na busca pela felicidade um sonho intangível.
No sonho intangível, a imortalidade.

Vejo na imortalidade o tédio.
O tédio é produto da inércia.

Vejo na inércia a depressão.
A depressão traz a tristeza.

A tristeza é produto da busca pela felicidade.
Não busque a felicidade.

Viva-a.